segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Raios partam isto...

Ahhh se eu pudesse gritar este grito surdo em forma de mil ecos
Ahhh se eu pudesse arrancar a mudez que te afunda nessa areia movediça de vazio
Essa desistência mórbida e azeda…não faças isso a nós
Esse cair de armas nesse arrancar de armadura…não faças isso a nós
Não me empurres para um canto…eu de ti não desisto
Não me obrigues a fingir mais ainda…eu de ti não desisto
Nessa dor eu vou estar
Eu estou caramba
Nesse medo eu vou estar
Caramba também está em mim
Não permito nunca que me afastes das tuas lágrimas
Eu estou aqui para enxugar
Não permito nunca…nunca que o silencio que devore em medo
Eu estou aqui e gritos alucinantes por ti dou
Esse ardor no peito que trazes e que te anula
Nem que seja com lágrimas eu o apago
Ouve o que te digo
Tu és tudo o que eu quero para mim
Foste quem eu escolhi
Não te atrevas a desistir de ti
Não te atrevas a desistir da vida
Não faças isso a nós
Ahhhh que raiva de te ver sofrer assim
Ahhhh que ódio desta vida
Não te atrevas a virar costas a esta batalha
Não te atrevas a deixares-me aqui sozinha
Onde está a tua coragem
Onde ficou a tua garra
Não quero saber do teu cansaço
Não fales no teu desalento
Luta carambas
Luta
Raios amor não me desiludas por favor
Não vires as costas a ti próprio
A guerra ainda não acabou raios
Não faças isso a nós

4 comentários:

Dama de Cinzas disse...

Passei por aqui pra te ler e deixar um grande beijo!

Gilbamar disse...

Um texto de forte conotação sentimental que nos leva a refletir sobre a tempestade de sentimento que temos dentro de nós sempre.

É sempre muito bom ler-te.

Abraços.

Desarranjo Sintético disse...

Muito bonito. O texto e a imagem também!

Abraços.

Fábio.

Desarranjo Sintético disse...

Muito bom. O texto e a imagem.

Abraços.