quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Tão cansada...

Jantar feito, loiça lavada na cozinha arrumada.
Casa cheirosa, roupas engomadas.
Momento dos telefonemas aos vizinhos idosos, com a boa noite e saber se está tudo em ordem.
Trabalho de amanhã…já embrulhado…tudo adiantado
A cadela deu a última volta do dia no bairro
Confirmei a tomada do berbequim amigo…desligado
Pijama vestido, cara lavada e pó do vidro tirado.
E agora sozinha tenho o meu momento…finalmente
Ligo o computador…o ecrã fala comigo
Desvio os olhos para nele não me ver
E começo a escrever
Sei que a hora está a chegar
A hora em que não tenho querido pensar
Minha cabeça gira de tão cansada
E amanhã novamente vou ocupá-la
Pensar não quero…
Fico triste e derrotada
O sono invento que já espreita…abro a boca num bocejo provocado…
Fica assim com mais verdade
Olho para a parede…e vejo
Que tudo em breve vai ter que mudar
Conversas caladas
Silêncios em forma de sorrisos
Controlo excessivo
Estou tão cansada…
Acendo um cigarro…uma companhia que me é tão amiga
Estou tão cansada…
De mim? De estar viva?
Sei lá!!!
Sinto que algo em mim já não é mais o mesmo
Sei que algo em mim se transformou…ou simplesmente em mim morreu
Sei que estou desligada, desinteressada e muito afastada
Estou tão cansada
Os dedos carregam no teclado…volta e meia roçam delet
Faz-me lembrar quando rasgava os papéis que escrevia sem destinatário
Puxo uma fumaça, encosto a cabeça
E penso – é melhor deitar-me
Amanhã é um novo recomeço de tudo fazer só… para estar ocupada
Estou tão cansada…


6 comentários:

Dama de Cinzas disse...

Lindo texto minha amiga! Carregado de sentimento num cotidiando tão nosso!

Beijocas

GUILHERME PIÃO disse...

Fiquei cansado só de ler o que você fez durante o dia, cozinhar, lavar, etc..etc...Ufa...
Estou cansado mesmo, vocês mulheres são heroinas...e ainda tem que aguentar os chatos...ehehe
Abraços

mundo azul disse...

...sei como é!

Mas, tenha certeza que logo passa... Temos alguns momentos assim, mas, muitas vezes é para dar nascimento a algo novo... Nascimentos são dolorosos!


Beijos de luz e o meu especial carinho, minha querida amiga!

Gilbamar disse...

Tantas vezes nos sentimos assim e parece-nos não sentir as coisas boas da vida. O manancial de lágrimas borbulha quase a despejar-se pelas faces para desaguar por sobre nosso coração.

Contudo, jamais podemos nos entregar a esse sentimento sem recuar ou refletir. Afinal de contas, um novo dia sempre chega e às vezes traz novas e agradáveis surpresas. Acredite, amiga, vale a pena esperar o alvorecer.

Abraços fraternos do amigo Gilbamar.

mundo azul disse...

É ...




Eu gosto da vida que tenho,
estou cansada de dizer...

fazendo todos os dias
o que esperam de mim.

Casa limpa, comida feita
e a ordem que reina aqui.

É tudo que sei e que faço
pra fazer o povo feliz!

Bem verdade que certos dias,
me vejo querendo mais,

talvez um gesto querido
um carinho, um elogio.

Mas, me encolho,
fico na minha...

Sozinha na cozinha
preparo um pudim!


Esse poeminha, editei lá no Recanto em 2007... Achei que estávamos mais ou menos, navegando nas mesmas águas...

Beijos no coração!!!

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Olá queridos Fialhos, mas em especial, querida Elisabete, raínha das artesãs

Como vão as coisas por aí? Nós, por cá, ótimos (novo acordo ortográfico, temos de nos ir habituando...)

Muito vidro lindo? Espero que sim. E o marido de Vossa Insolência (alem de candidato a Presidente alcobaciano) vai bem de saúde? Oxalá que sim.


Depois das mini-férias (que foram excelentes) e com as baterias recarregadas, estou de regresso. E, de novo, visito este blogue, que continua em grande forma. Uma vez mais, muitos parabéns! Espero que também voltem ao www.aminhatravessadoferreira.blogspot.com, que, como sabem, é o meu novo. Já tenho saudades de vós e das vossas visitas. Obrigado.

Qjs/abs

PS - Com o Natal à porta, pode ser que o Fialho/macho consiga que a Associação faça por vender mais livros, ao longo do País. Se ele falar para Braga, talvez... Uns €€€€€€ calhavam que nem ginjas. Agradecido.