sexta-feira, 18 de julho de 2008

CONSCIÊNCIA

Que bem eu estava, enrolada no roupão de caneca na mão a correr no horizonte sem rumo sem norte
Toca a campainha:
- Visitas agora? Vou fazer-me de morta – pensei bem estatela na cadeira
A campainha novamente
- Gaita… tenho que ir ver
Devagar devagarinho levantei-me na esperança de demorar o suficiente para não ser ninguém
- Quem é – perguntei
- EU
Já em tom de quem esta lixado – Eu quem?
- EU a tua consciência minha linda – sempre com aquela voz bem mordaz e trocista
Fiquei ali a olhar para a porta sem saber o que fazer que vexame…
- Então lindinha não vais abrir a porta? – quase que podia adivinhar o sorriso malicioso – ahhhh lembrei estas sem saber o que fazer
- Só um…bocadinho – ligeira passei os dedos pelo cabelo, com a ponta dos dedos molhados com saliva passei pelos olhos e abri a porta – Viva por aqui tão cedo – tentei disfarçar com voz sorridente
- Tão cedo? Ao meio dia e meio – foi entrando como se eu ali não estivesse só a voz me intimidava – podes fechar a porta já entrei linda – acrescentou radiografando a minha alma.
- Sim claro – deslizei para a cozinha – és servida de um café? – ofereci tentando ser agradável
- Café à hora que devias estar a almoçar? – sentou-se traçou a perna e de olhar mais moderado – despenteada…hummm essas coisas brancas na cabeça são cabelos?
- Pois…quer dizer… tenho tido pouco tempo – resolvi fazer um esforço peguei na caneca para esconder o ar encavacado e continuei com voz naturalmente…natural – com a exposição à porta…depois as encomendas…sim não posso descuidar essa parte…é muita coisa a planear…e o tempo fica curto – acendi um cigarro…mais golo para ganhar tempo e recompor-me do susto – e claro com isso tudo…ahmmm
- Claro… claro – interrompeu pousando o cotovelo na mesa, esperei logo o pior – pois faço ideia isso tudo mais o cair em desespero, o descontrolo, mais visita do Sr.Medo , os concelhos bombásticos da esperta da Solidão, depois a promessa da falsa da Confiança mais o ranhoso do Acreditar que sempre ilude, a fulana espertalhona da Garra que sempre promete mas nunca cumpre e, o tipo que gosta de dar um rebuçado como é o nome?
- O Vencer? – nem eu me consegui ouvir
- Pois esse tipo acena sempre mas muito pouco se aproxima e quando EU chego dou contigo nesta lástima
- Ohhhhh Consciência, espera lá que as tuas conclusões…
- Vou esperar o quê? Tu definhes de desespero? Diz-me criatura resolves alguma coisa em te entregares dessa forma?
- Não é isso é que…
-Ora inventa lá uma boa resposta só se for para te convencer a ti – levantou-se pôs o braço no meu ombro – ora vamos lá tratar de ti miúda - fomos até ao quarto – Olha boa… calça feminina sem provocação mais …olha fixe…blusa decentemente transparente…hummmm cá está um belo de um cinto - pousou a mão no meu queixo – e agora Elisabete vamos tratar desse cabelo – começava a gostar de sentir que alguém estava a conduzir-me
Pintei o cabelo, desculpei-me com a tinta para disfarçar as lágrimas que apostavam em me fazer ficar envergonhada
- Então miúda uma dessas…de vez em quando lava a alma
Relembra-mos coisas antigas enquanto passava o tempo da tinta pegar, rimos enquanto fazia as sobrancelhas e me depilava.
Escolhemos a cor do verniz e dei cor às unhas
Ajudou-me a entrar na banheira, deixei a água beijar-me com beijos protectoramente maternos
Enrolada na toalha estava cansada, um cansaço de mim
- Vamos – pousou a mão na minha cabeça e sorriu – ainda não acabámos já falta pouco para ficares melhor
Devagar vesti-me e sequei o cabelo com um vagar ritualizado… como o nascimento de uma criança
Olhei-me no espelho, uma mulher segura e confiante estava no reflexo
- Miúda toma atenção – sussurrou ao meu ouvido – doía o que doer agora não tens tempo para desânimos nem desistências. Lembra-te pinta-te da cor vida, perfuma-te de sorriso e veste a roupa do sonho. Porque mesmo que morrendo dentro de ti aos olhos de quem amas tens que semear esperança.
Mansamente foi-se embora e até agora ecoa as palavras da minha CONSCIÊNCIA

4 comentários:

Dama de Cinzas disse...

Adorei o texto e a figura do gato se olhando no espelho! Eu já amo animais então tudo que se refere a eles me encanta!

Olha! Sei o que te desanima... Eu por cá andei bastante desanimada assim como vc, sem vontade de tomar banho. Certamente meus problemas não são da proporção dos seus, mas me deixou derrubada.

Sempre me entra pela pota a VAIDADE e me dá uma ajudinha... rs

Beijos

_E se eu fosse puta...Tu lias?_ disse...

Caramba li o teu blog quase palavra por palavra!


És um exemplo de cor e vida!!!!!!


Xi apertado e parabéns por conseguires através das palavras fazer-me sentir tanto

Marcia Willians disse...

Amei o texto e retrubuo a visita. Confio na vida e sei que mais adiante todos os meus problemas serão só passado. Abraços e muita felicidade para vc.

cah disse...

adoreeei oq vc escreveeu xd

ameei

http://imensidadx3.blogspot.com