terça-feira, 5 de agosto de 2008

O POETA...calou-me com esta

Óhhhh…Ó senhor espere…Olhe olhe…espere se faz favor…
- Sim…é comigo ?
- Desculpe boa tarde, ando a procura do Sr. Poeta – expliquei com aquele ar…de quem está encavacado
- Sim sou eu – respondeu arqueando uma sobrancelha
- Viva sou Elisabete – estendi a mão e acrescentei – posso cumprimentá-lo ?
- Sim claro – abriu um sorriso e estendendo a mão – Então que me quer?
- Vou ser curta e grossa Sr. Poeta, quero muito escrever sobre o tema amor, no fim de ensaios e mais ensaios nunca fico satisfeita…
- Ora ora isso é próprio de quem ama – interrompeu com um sorriso malandro
- … Pois… - respondi sem graça
- Jovem senhora aceita beber um café comigo ?
- Sim…está bem aceito – respondi satisfeita
Entramos num cafézinho…logo ali… lojinha modesta e muito asseada com ambiente simpático
Sentados a um cantinho, bebemos o cafézinho
- Estava a dizer…- começou
- Pois então, tantos escritos sobre amor e a coisa não tem corrido nada bem, no fim de remoer a ideia decidi pedir a sua ajuda. Peço desculpa…mas compreenda é mesmo muito importante para mim
- E posso saber que quer dizer nesse escrito?
Senti que consegui prender-lhe a atenção e comecei a explicar:
- Quero que o meu amor saiba o quanto gosto da sua pele…tem perfume a mel
Quero que meu amor saiba que no seu respirar está o ar que eu preciso
Quero que meu amor saiba que nas asas do seu olhar eu espreito os DEUSES
Preciso que ele saiba que ao toque das suas mãos meus arrepios ficam quentes com as sensações de volúpia
Preciso que ele saiba que com seus beijos meu corpo num rodopiar volteia com a corrida feita por fogo em minhas veias
Preciso que ele saiba que embriagada me entrego num banho viciante nas ondas do seu cabelo
Ele tem que saber que fico em sereno êxtase no abraço sentido no finalzinho do prazer?
Ele tem que saber do sono perfeito que durmo no seu peito
Ele tem que saber que é o homem que quero para mim
Sr. Poeta, consegui fazer- me entender?
- Jovem senhora, compreendi na perfeição…- respondeu fixando seus olhos nos meus
- …
Fiquei à espera ansiosa
-…
Já começava a ficar nervosa
- E que me diz Sr. Poeta, posso contar com a sua ajuda? – perguntei cheia de coragem – Eu vou ajudá-la com uma frase somente – respondeu suavemente
- Pois então diga… – pensei… - é agora
- Regras não há para escrever a força do SENTIR – e da forma educada que assentiu falar comigo se despediu
Até agora só consigo pensar com um sorriso
- O POETA calou – me com esta…

4 comentários:

Dama de Cinzas disse...

Por isso acho que o bom escritor é aquele que sabe traduzir sentimentos em palavras e poucos têm esse dom...

Beijos

Fernanda disse...

Beth!
Quem sabe... talvez por isso os poetas sofram do coração!
por muito amar...
por tudo falar...
por sempre, muito e tudo sentir!
Lindo teu texto!
Um beijo!
IFdA

instantes e momentos disse...

muito bom teu blog. Gosto daqui.
Parabens
Maurizio

O Profeta disse...

Ai quem me dera agitar o tempo
Atirar a mágoa à voragem da noite
Arrancar as raízes ao pensamento
Sentir a paz que uma lagoa acolhe


Boa férias


Mágico beijo