domingo, 14 de dezembro de 2008

Nascido em mim


Canto este fado
Nascido em mim
Em tom alinhavado
Com notas de cetim

Dizem ser saudade
Chamam de dor
Eu tenho para mim
São lágrimas sem cor

Estrelas semeadas
Luas enfeitadas
Sois procurados
Constelações viciadas

É tudo o que tenho
Nesta lembrança cansada
Fica o esperar
Nesta saída emparedada

Escuro infinito
Percorro tacteando
Ao fundo a luz
Para mim acenando

Com notas de cetim
Canto este fado
Nascido em mim
Em tom alinhavado

7 comentários:

anacoelho disse...

Estrelas semeadas
Luas enfeitadas
Sois procurados
Constelações viciadas

Lindo este poema, adorei.

Beijos

Siegrfried disse...

Gostei bastante Elisabete!
Nota-se uma leveza sem igual neste teu poema!

É bom saber que sente-se leve, que estás bem através da tua poesia...

Gostei mesmo.

Aquele abraço!

João Videira Santos disse...

"Estrelas semeadas
Luas enfeitadas
Sois procurados
Constelações viciadas..."

Gosto!

mundo azul disse...

Minha amiga, que lindo poema!

Que prazer ler você... Já estava com saudades de vir aqui!


Beijos de luz e o meu especial carinho...

Gilbamar disse...

Oi minha amiga Elisabete, estive viajando durante dez dias e fiquei um pouco afastado dos amigos virtuais nesse período, mas agora voltando com todo gosto para visitar a todos que fazem parte do meu círculo de amigos especiais, como você.

Deixo meu fraterno abraço amigo.

Daniella Paula disse...

É lindo!

Nina Araujo disse...

É tão lindo que é preciso apenas sentir...Parabéns!! Feliz 2009!!!
Beijos poéticos,